PT#3 Where did all the love go?

De Leicester, Inglaterra para o mundo, agora você conhece um pouco mais da banda que tem tudo pra ser O SHOW do Planeta Terra! Não perca a fé no rock, por que ele não morreu não! Ladies and Gents, com vocês Kasabian!

Perseguições em alta velocidade, assalto a bancos, empaladores teatrais fazendo vítimas como se não houvesse amanhã. Esse é o pequeno resumo de alguns dos últimos vídeos da banda inglesa que vem dando o que falar em festivais mundo afora. Afinal neste século tão doido onde a teatralidade musical parece estar voltando com tudo, o Kasabian sabe divertir muito com isso.

Fazia tempo que o rock alternativo não merecia que você desse tanto uma chance!

1997, e o movimento Britpop explodia no país da rainha, quando o grupo criado por Sergio Pizzorno (guitarrista) e Tom Meighan (vocais) iniciou sua carreira no rock com o nome pouco sonoro de Saracuse.

3 músicas demo e uma lida sobre o clã de assassinos pirados de Charles Manson, fez com que o grupo se tornasse Kasabian, sobrenome de Linda, a motorista de fuga do grupo. Kasab, um sobrenome armênio,  que significa abatedor ou açougueiro, combinava muito com a estética e sonoridade do grupo, que fez questão até de homenagear Vlad, o empalador (veja o toptop Breaking The Law).

O debut homônimo do grupo só apareceu em 2004, e bem recebido por público e crítica, já causou um burburinho com singles como “Reason Is Treason” e “Club Foot”, a primeira música deles a entrar no top 10 do Reino Unido, que se mantém como uma das músicas mais amadas (e tocadas ao vivo) da banda.

Sem bateristas oficiais, entre 2003 e 2005 a banda tocou com mais de quatro bateras diferentes até conhecer Ian Matthews, que integrou a turnê Kasabian e acabou virando membro permanente.

Mas no velho esquema “entra e sai”, Christopher Karloff, o principal compositor dos caras and guitarrista, deu piti, usou a velha desculpa das “diferenças artísticas e criativas” e saiu da banda.

Empire (2006) saiu logo depois, após a turnê do grupo com o Oasis, e ainda contou com algumas participações de Karloff, em músicas como “Empire”, “Shoot the Runner” e “By My Side”. O próprio nome do disco significa – numa gíria usada pela banda – algo incrível, e considerando que ele chegou ao #1 das paradas brits, o nome atraiu boas vibes para o lançamento e ainda garantiu o prêmio de melhor show de 2007 (NME Awards) para eles. E quem os viu em ação na sua primeira participação no Planeta Terra daquele ano, confirmou o quão justo foi esse prêmio!

Justiça seja feita, a verdade é que o Kasabian não perdeu muito com a saída de Karloff. Primeiro eles lançaram no fim de 2007 o EP Fast Fuse, com a eletrizante faixa de mesmo nome e “Thick as Thieves”, que viriam a fazer parte da tracklist do excelente West Ryder Pauper Lunatic Asylum (2009).

O álbum teve seu nome – impronunciável – tirado de um hospício em West Yorkshire, Inglaterra, e que de acordo com Sergio Pizzorno (que se tornou o songwriter do grupo) era um nome que ficou na cabeça, e representava uma vibe irada, já que a instituição foi a primeira a atender pessoas pobres com distúrbios lá nos idos de 1880. Vai entender…

Mais uma vez eles conseguiram o #1 no Reino Unido, além de críticas excelentes e clipes irados (vide “Fire”, “Vlad The Impaler” e “Where Did All The Love Go”) que mostraram que a banda veio mesmo para ficar. Não bastasse o sucesso, eles levaram todo tipo de indicação e prêmios para casa, em especial a indicação para o aclamado Mercury Awards, e os prêmios de Melhor Álbum do ano e Melhor Show no Mundo Atualmente (!) da revista britânica Q, além de Melhor Grupo no Brit Awards.

Com tudo isso as expectativas para seu próximo lançamento não poderiam ser maiores. Apesar da dita sonoridade nova que eles esperavam, o álbum Velociraptor! (2012)  teve um grande sucesso na crítica, e recebeu opiniões como “Kasabian encontrou um jeito de imitar tudo que você ama em bandas como The Rolling Stones, Led Zeppelin e Radiohead, enquanto manteve uma sonoridade única que os separa de contemporâneos como Coldplay, Muse e The Killers”. #truestory

Logo, você não pode perder o show que (na minha humilde and modesta opinião) fez o Planeta Terra valer a pena de verdade! O show deles rola no Main Stage, às 18h30 e vai ser imperdível!

Saca só o setlist que eles andam tocando por aí e já vá decorando os hits para curtir o show ao máximo!😉

  1. (E.T. theme trumpet intro – … more)
  2. (The Korgis cover)
  3. (Fatboy Slim cover)
  4. Encore:

xoxo Chloe

 

 

Um comentário sobre “PT#3 Where did all the love go?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s